Tag: Jennifer Lawrence
critica-filme-mae-com-jennifer-lawrence2

Escrever sobre as obras de Darren Aronofsky não é uma tarefa fácil até para os profissionais mais experientes da sétima arte. Isso porque o diretor imprime um estilo de narrativa único em todos os seus trabalhos, conversando diretamente com o surrealismo, sem esquecer a ousadia, um trunfo permitido aos mais irreverentes do cinema. As histórias são representadas através de gestos, expressões faciais e movimentos, que ajudam a complementar o seu trabalho.

Quem já assistiu a algum de seus filmes, sabe que vale a máxima do efeito “ame ou odeie”, mas independente de gostar ou não, é impossível ficar indiferente ao que é visto em cena. E foi exatamente assim que me senti após assistir ao seu novo projeto, “Mãe!“, que estreia nesta quinta-feira, 21 de setembro, nos cinemas.

A trama acompanha intimamente a relação de um casal que vive isolado aproveitando os bons momentos da vida. A jovem, interpretada por Jennifer Lawrence, ocupa seus dias reconstruindo a casa do poeta amado, vivido por Javier Bardem, que fora destruída em um incêndio. Tudo muda com a chegada de um misterioso homem (Ed Harris), que prontamente é acolhido pelo dono da casa. A partir de então, uma série de acontecimentos, muitos deles perturbadores, mudam a rotina do casal, nos levando a uma experiência psicológica como há muito tempo não víamos nas telas do cinema.

A sinopse descrita acima certamente não revela a real intenção desta trama idealizada por Darren. A experiência de “Mãe!” está no simples fato de assistir e interpretar as representações criadas em cena. Descobrir o que há escondido por trás de cada metáfora acaba tornando-se uma interação entre Darren, do seu alto comando, e o público, que precisa extrair o máximo possível de cada cena. É uma experiência individual, que cabe às sensações de cada pessoa. Sendo assim, tudo que eu disser aqui ainda não é o bastante para descrever a produção, cabendo a você vivenciar esse momento na sala do cinema.

critica-filme-mae-com-jennifer-lawrence

A história é contada, literalmente, do alto do ombro da protagonista vivida por Jennifer Lawrence. A câmera, como você pode ver acima, é anexada sob os ombros da atriz e assim, a trama é desenvolvida exatamente do ponto de vista da mulher, que também é esposa e mãe. Sua subjetividade é escancarada ao público, nos fazendo sentir seus medos e suas angústias ao deparar-se com o inesperado em um lugar sagrado, como a sua casa. Nesta imersão à subjetividade da protagonista, o diretor se aproveita dos simbolismos para tratar de alguns fardos de ser mulher em uma sociedade predominantemente machista. Em uma das cenas, é perturbador quando percebemos o quanto é difícil ela ser ouvida pelos demais. Em certo momento, ninguém a leva a sério e duvidam de suas palavras.

E por falar na grande protagonista, não há como analisar “Mãe!” sem dar os devidos créditos ao excelente trabalho de Jennifer Lawrence. A atriz contracena com grandes nomes do cinema, como Javier Bardem e Michelle Pfiffer, mas experiente do jeito que é, toma de conta da produção. Ela vai do céu ao inferno em poucos minutos e consegue convencer o público de qualquer coisa que seja, mesmo que sua personagem não seja um livro aberto diante da narrativa. Um trabalho primoroso, que a consagra de uma vez por todas, como um dos maiores nomes da sétima arte. Por falar nisso, assista a um depoimento da atriz sobre as filmagens do longa:

Quando o filme se desenrola para o último ato, percebemos a ousadia da narrativa de Darren Aronofsky de forma mais aguçada. Ele leva sua trama ao limite, conduzindo os atores de forma ainda mais teatral, nos entregando um pouco de sua personalidade megalomaníaca, que pode ser visto, inclusive, nas cenas violentas que também marcam esta narrativa.

Quem acompanha sua carreira sabe o quanto ele trabalha com temas religiosos em suas metáforas, e aqui não é diferente. Não há como entregar mais detalhes da trama sem revelar alguns spoilers. Dessa forma, não posso me prolongar para não estragar a sua experiência. Mas esteja preparado para descobrir outro lado de atores tão consagrados de Hollywood.

Mãe!” pode ser considerado controverso, ousado e muitos podem não comprar a ideia, mas não há como negar que seja uma obra diferente de tudo que está sendo feito nos dias atuais. É um filme para debater na mesa de bar com os amigos. Para ser lembrados na premiações. Para aguçar discussões mais calorosas sobre a sétima arte. É um filme memorável, que, você gostando ou não, vai ficar na sua cabeça e na sua língua por muito tempo.

Antes de ir embora, assista ao trailer de “Mãe!”:

jennifer-lawrence-e-chris-pratt-primeiro-trailer-passengers

Jennifer Lawrence e Chris Pratt são um dos atores mais populares e carismáticos da nova geração de Hollywood. Isso é fato! Certo? E quando temos os dois juntos em uma mesma produção? No mínimo precisamos ficar de olhos bem abertos. Ainda mais quando se trata de uma ficção científica assinada por Jon Spaihts, de “Prometheus“. E é por isso que precisamos falar sobre “Passengers“! Vamos lá?

Como tem sido feito pelos estúdios para promover os grandes lançamentos do ano, a Sony Pictures divulgou ontem, 19, o teaser do primeiro trailer de “Passengers”, que apesar de curtinho, nos adiantava uma super produção de encher os olhos. Não que esperássemos menos do que isso, né? E hoje, 20, enfim o trailer foi oficialmente lançado. E é tudo aquilo que eu estava esperando. Mesmo! É muito bom de verdade.

Os efeitos visuais estão de cair o queixo, sendo aquele tipo de longa que vai fazer você pagar o ingresso mais caro só para não perdê-lo na maior tela do cinema. Já tem até gente dizendo por aí que o longa tem tudo para ser o novo “Interestelar” – mas sem aquela confusão no tempo de deixar qualquer um tonto. O visual da nave especial que transporta o casal protagonista é deslumbrante e dá até vontade de morar lá com eles. Se não fosse no espaço e se tudo não tivesse a ponto de explodir, evidentemente. Não espere por uma guerra nas estrelas, como já estamos acostumados com as últimas produções hollywoodianas, o foco principal dessa trama é a relação entre dois passageiros sozinhos no espaço.

Dirigido por Morten Tyldum (de “O Jogo da Imitação”), a história é ambientada em uma nave espacial de luxo que transporta 5.000 passageiros em uma viagem intergalática. Para que todos possam permanecer vivos até chegar em casa, são colocados em um “hypersleep“, fazendo com que seus corpos permaneçam em estase. Quando Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) são misteriosamente despertados 90 anos antes do fim da viagem, precisarão descobrir como salvar a tripulação de um mau funcionamento mortal.

Assista ao trailer:

 

A química entre Jennifer Lawrence e Chris Pratt é algo que chama atenção logo nos primeiros segundos do trailer. A escolha para o casal protagonista não poderia ter sido melhor. É claro que falamos principalmente de dinheiro, já que os dois atraem milhões de fãs para as salas de cinema, mas também temos que admitir que eles funcionam sim em cena. A história como um todo é muito interessante e com o auxílio dos efeitos visuais (que já torna o longa um forte candidato ao Oscar), conseguiu me deixar fascinado. Quero mais!

Passengers” estreia dia 5 de janeiro de 2017 no Brasil!

wolverine-terceiro-trailer-x-men-apocalipse

Quem acompanha as adaptações cinematográficas de quadrinhos sabe muito bem que o Wolverine é a figura mais importante do universo dos X-Men criado pela Fox Film. E não falo apenas de participação nas tramas dos mutantes, mas, principalmente, em termos de popularidade.

O ator Hugh Jackman, se atualmente é um dos nomes mais famosos de Hollywood, parte desse sucesso se deve ao trabalho de Wolverine. E ele não parece se arrepender de ter comprado a ideia há alguns anos quando recebeu o convite de protagonizar “X-Men: O Filme“. Mas como tudo na vida tem um fim, sua última atuação no papel do mutante está cada vez mais próxima (ele se despede na terceira aventura solo do Wolverine), mas enquanto esse dia não chega, o cara continua topando fazer participações nas demais produções da franquia. E sim, ele também estará em “X-Men: Apocalipse“.

Diferente de “Dias de Um Futuro Esquecido“, no qual sua imagem foi exageradamente divulgada aos quatro cantos do mundo, o estúdio resolveu se conter um pouco mais neste novo capítulo. Tanto é que ele só “aparece” (o que aparece de verdade são as suas garras) no terceiro trailer lançado hoje, dia 25. E claro que essa pequena participação seria o bastante para agitar a internet. Desde manhã cedinho todo mundo só fala nisso. Como será a participação do Wolverine na trama do Apocalipse? Como ele será introduzido? Será que deixa alguma ponta para o último filme solo? E o tão sonhado uniforme amarelo? Vai rolar? São muitas perguntas que até então estão sem respostas – e pelo visto ficarão até a estreia do longa em maio.

Assista ao trailer:

Outro detalhe que não posso deixar de comentar (e que até já falei algumas vezes por aqui no blog), é que depois que o Hugh Jackman começou a demonstrar os primeiros sinais de cansaço, a Fox tratou de procurar um protagonista substituto e nesse caso nem foi tão intencional. Quando escalaram Jennifer Lawrence para o papel de Mística em “Primeira Classe“, a atriz ainda não era um dos grandes nomes de Hollywood, e ainda nem tinha feito a cabeça de milhões de jovens após sua primeira atuação em “Jogos Vorazes“. Foi pura sorte! E após perceber o sucesso da menina, logo trataram de transformar a Mística, que continua uma incerteza para o rumo da franquia.

Essas mudanças na personagem provocaram algumas críticas negativas, principalmente por parte dos fãs, que acusam o estúdio de querer lucrar em cima da vilã, transformando sua personalidade para mantê-la no centro das atenções, como protagonista. E nesse novo trailer percebemos ainda mais que a personagem tem muita importância para a história. Tanto é que quando o mundo está sob ameaça, ela é quem recebe a missão de convocar os X-Men, servir como uma líder e ensiná-los a lutar. O trailer é basicamente todo focado na Mística e de como ela vai lidar os mutantes contra o vilão Apocalipse.

terceiro-trailer-x-men

Aliás, não é nem preciso analisar o trailer: se você perceber os cartazes, todos os mutantes estão caracterizados, com seus uniformes, a Mística é a única que não está na sua verdadeira forma, destacando, claro, a imagem de Jennifer Lawrence. Marketing é marketing!

O novo trailer também explica um pouco mais a origem do vilão Apocalipse, rendendo algumas cenas realmente tentadoras, como a luta entre o vilão e o Professor Xavier, interpretado por James McAvoy. Os Quatro Cavaleiros também ganharam mais destaque e cenas de tirar o fôlego. Nas últimas cenas, quando o jovem Ciclope revela que os mutantes tiveram uma pequena ajuda, já dava para imaginar o que viria a seguir, não é? Não foi o próprio Wolverine, mas suas garras, deixando bem claro que ele não estava para brincadeira. Animados? Eu fiquei!

X-Men: Apocalypse” é estrelado por James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Tye Sheridan, Sophie Turner, Olivia Munn, Lucas Till, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Alexandra Shipp, Josh Helman, Lana Condor e Ben Hardy.

A estreia está marcada para o dia 19 de maio de 2016.

conheca-os-quatro-cavaleiros-grupo-formado-por-apocalipse-em-x-men-apocalipse

Parece que a Fox Film resolveu começar a investir de fato (e com tudo que tem direito) na promoção do filme “X-Men: Apocalipse“.

Depois do trailer sensacional que vimos há alguns dias, temos um novo vídeo internacional que mostra mais detalhes dos Quatro Cavaleiros, grupo comandado pelo vilão Apocalipse (Oscar Isaac). Além disso, é provavelmente o vislumbre com mais cenas inéditas até aqui.

Quem são os Quatro Cavaleiros? Nos quadrinhos, o grupo já passou por várias formações, mas no filme, ele será formado por: Magneto (Michael Fassbender), Tempestade (Alexandra Shipp), Psylocke (Olivia Munn) e Arcanjo (Ben Hardy). O que fica bem claro em todos os materiais promocionais é que o vilão deseja atribuir ainda mais força e habilidade aos seus aliados, dando preferência ao Magneto, que já conhecemos.  Sua principal intenção com esses mutantes é purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele vai reinar. O cara é maluco mesmo, né?

Assista ao vídeo:

X-Men: Apocalypse” é estrelado por James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Tye Sheridan, Sophie Turner, Olivia Munn, Lucas Till, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Alexandra Shipp, Josh Helman, Lana Condor e Ben Hardy.

A estreia está marcada para o dia 19 de maio de 2016.

novo-trailer-epico-de-x-men-apocalipse

Ultimamente só temos ouvido falar de “Batman Vs. Superman” ou “Capitão América: Guerra Civil“. E “X-Men: Apocalipse“? Por onde será que anda?

Estranho a Fox Film não estar batendo de frente com os outros dois estúdios. Eles divulgam um pôster aqui, outro ali, mas nada ainda muito grandioso. Diferente dos dois filmes citados no início do texto. Mas também tem a questão das estreias, não é? A nova aventura dos mutantes está um pouco mais distante (prevista para maio).

Mas para nos lembrar que os X-Men também estão chegando, foi lançado hoje, 17, um novo trailer com muitas cenas inéditas e uma dose ÉPICA de nerdice.

Tem o Ciclope usando sua explosão ótica, o Destrutor apelando para a explosão plasma, a Psylocke cortando um carro ao meio, o Anjo disparando suas navalhas, sem contar no Noturno e a maravilhosa Tempestade. Ou seja, o que não faltam são coisas interessantes acontecendo a cada frame. Só vamos esperar que o filme seja realmente tão bom quanto o trailer, não é?

angel

cycstorm

beastlock

xmena

Entrou no clima? Então assista ao trailer abaixo:

O trailer passa uma ideia de grandiosidade, assim como os demais materiais de divulgação da franquia. Personagens mais importantes para o grande público, como a Mística de Jennifer Lawrence, recebe atenção dobrada. Uma prática bem comum quando se tem grandes nomes em um elenco! O vilão ainda não mostrou a que veio e não passa muita confiança nesse material, o que também está deixando os fãs apreensivos. Será que ele vai cumprir tudo que está prometendo? Fica a dúvida!

X-Men: Apocalypse” é estrelado por James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Oscar Isaac, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Tye Sheridan, Sophie Turner, Olivia Munn, Lucas Till, Evan Peters, Kodi Smit-McPhee, Alexandra Shipp, Josh Helman, Lana Condor e Ben Hardy.

A estreia está marcada para o dia 19 de maio de 2016.

jennifer-lawrence-fara-sua-estreia-como-diretora

O que a Jennifer Lawrence não pode fazer? A atriz é conhecida por mil e uma habilidades, sendo sua especialidade tropeçar em premiações e pré-estreias. Mas além disso, ela também pode ser uma excelente protagonista de saga juvenil, arrasar no papel de uma mutante totalmente inconstante na franquia dos X-Men, dividir a cena com grandes nomes do cinema, escrever um roteiro em parceria com Amy Schumer, lutar pela igualdade entre os gêneros, e por aí vai. Poderia passar o dia todo falando sobre o jeitinho peculiar Jennifer Lawrence de ser.

A novidade da vez não é nada surpreendente e digamos que já estamos todos esperando por esse momento. Jennifer Lawrence confirmou seu primeiro filme como diretora. Isso mesmo! Além de arrasar atuando, ela também quer deixar seu nome por trás das câmeras. Alguém duvida que ela vai se dar muito bem em mais esse projeto? Não, né?

Na nova edição da revista Entertainment Weekly, Jennifer, que foi escolhida como a “Entertainer” do ano, ou seja, a “Artista do Ano”, revelou que está em negociações para dirigir o seu primeiro filme. Veja a capa:

jennifer-lawrence-entertainment-weekly

É com base neste artigo sobre a guerra mental na década de 60, como um experimento ácido terrivelmente errado. É engraçado, pois eu queria dirigir desde que eu tinha 16 anos e sempre pensei que deveria começar a fazer passos em direção a esse objetivo. Se eu tivesse tentado fazer isso mais cedo, eu não estaria pronta. Agora eu realmente me sinto pronta“, revela Lawrence.

O filme de Lawrence pode ser baseado em “Operação Delirium” (o título do filme ainda não foi definido), artigo de Raffie Khatchadourian lançado em 2012 no The New Yorker. O texto fala sobre as experiências do governo com armas químicas em 5.000 soldados norte-americanos na década de 60. Bem complexo e um tema  super delicado, não é?

O que vocês acharam? Estou confiante que vem mais um trabalho excelente de Lawrence, só que agora por trás das câmeras. Lembrando que a atriz ainda tem mais uma estreia marcada para este ano: o filme “Joy“. Clique aqui e assista ao trailer. Até a próxima!

1234